Hospital Estadual de Formosa realiza primeira captação de órgãos para transplantes

 Rins e córneas captados seguiram com apoio do transporte aéreo da Casa Militar do Governo de Goiás


A regionalização da saúde permitiu que fosse realizada, no último sábado (4/02), um marco histórico para a cidade de Formosa: a primeira captação de órgãos no Hospital Estadual de Formosa - Dr. César Saad Fayad (HEF), unidade de saúde da Secretaria de Saúde de Goiás (SES-GO). A equipe de enfermagem prestou toda assistência e acolhimento para a família que permitiu a autorização da captação dos órgãos.

A operação foi conduzida pelo médico intensiva e presidente da Comissão Intra Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes – CIHDOTT, Dr. Oliver Sampaio. A equipe de enfermagem da Unidade de Terapia Intensiva do HEF, coordenada pela enfermeira Bruna Soares, contribuiu na instrumentação do processo com enfermeiros e técnicos para auxiliar os médicos no processo de captação. O trâmite contou com o apoio do transporte aéreo da Casa Militar do Governo de Goiás e a equipe da Gerência de Transplantes da SES-GO.

O bom andamento do complexo processo de doação de órgãos é essencial para incrementar o pool de órgãos para transplantes e diminuir a crescente desproporção entre o número de pacientes aguardando em lista e a disponibilidade de órgãos. “A equipe da UTI do HEF segue as principais recomendações técnicas e de acolhimento familiar publicadas no Brasil e no mundo. Isso proporcionou a 1ª captação de órgãos realizada no hospital. Um marco que irá salvar muitas vidas”, celebra Dr. Alexandre Amaral, diretor médico do HEF.

Esse processo inclui a identificação do potencial doador, diagnóstico de morte encefálica (ME), acolhimento e entrevista familiar, avaliação da elegibilidade do doador e a manutenção clínica do potencial doador. 

Foram captados rins e córneas após a constatação de morte encefálica da doadora, uma mulher de 74 anos. “Dessa forma, vários pacientes poderão ter a chance de receber os novos órgãos em um novo processo de continuidade de vida”, afirma Dr. Oliver Sampaio.

Momento histórico para o HEF

A paciente doadora deu entrada no pronto-socorro do HEF após sofrer queda da própria altura. A equipe médica do hospital realizou exames clínicos e de imagem para chegar à conclusão da morte encefálica. 

Além disso, segundo a coordenadora de enfermagem da UTI, Bruna Soares, a equipe de enfermagem prestou toda assistência e acolhimento aos parentes. “Após todo esse processo fizemos contato com os familiares sobre o óbito, que levantaram a hipótese para a doação de órgãos. Eles querem honrar a memória ajudando outras pessoas. Fizemos todo o acolhimento e a doação foi autorizada”, conta Bruna.

As equipes do HEF formaram uma fila de palmas para homenagear a atitude da paciente de doar os órgãos e salvar vidas. Para a diretora administrativa da unidade, Ana Brito, esse é um marco histórico para o HEF. “Teremos outros casos de doações por aqui, mas o primeiro abre caminhos e serve de exemplo e inspiração. É importante expressar o interesse de ser doador em vida, pois este ato pode salvar muitas outras pessoas. Este, com certeza, foi um dia muito importante e feliz para Formosa", celebra a diretora.

Sobre o HEF

Estadualizado em 2020, o HEF funcionou como Hospital de Campanha durante o período crítico da pandemia de Covid-19, prestando atendimento aos moradores da Região de Saúde do Entorno de Brasília, composta por oito municípios e mais de 260 mil habitantes. Atualmente a unidade conta com 80 leitos, sendo 20 de UTI e um pronto-socorro para atendimentos de urgência e emergência. 

O hospital conta com especialistas em clínica médica, cirúrgica, obstétrica e ortopédica e, com essa captação da área de doação de órgãos, avança nos serviços prestados na rede de saúde estadual. 

Assessoria de Comunicação 
Yasmin Bernardes – yasmin@ecco.inf.br
Sthefane Silva – sthefane.silva@ecco.inf.br






Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Últimas