IFL-BH destaca a importância da mulher nas mudanças sociais e políticas do país


Fomentar discussões nos campos de economia, política, filosofia e empreendedorismo, além de lutar por mais liberdade na sociedade. Esses são alguns dos norteadores dos trabalhos do Instituto de Formação de Líderes de Belo Horizonte (IFL-BH) vem realizando há 15 anos. E desde a sua fundação, a entidade conta com um seleto time de mulheres que trabalham voluntariamente na construção de um país mais livre e próspero, que são lembradas no mês de março, dedicado à força feminina.

De acordo com o novo presidente do IFL-BH, Thiago Oliveira Campos, a presença da mulher no instituto traz mais força e representatividade.  "Ao longo dos anos, o instituto teve várias mulheres nos cargos de comando, e principalmente no cargo de presidente. Posto onde estiveram lideranças femininas de destaque na sociedade mineira, como, Sílvia Araújo, Carolina Antunes, Tatiana Mattar, Débora Roichman, Laura Franco e mais recentemente Laura Rabello.  Para se ter ideia, desde a sua fundação, a entidade, que anualmente renova o seu corpo diretivo, teve uma alternância equânime de presidentes homens e mulheres.  Prova disso foi a última gestão capitaneada pela ex-presidente Laura Rabello, que teve também a honorária Marina Rezende como a primeira pessoa a ocupar o nascente cargo de vice-presidente do instituto", comemora.

Segundo o presidente, a tradição da presença feminina nos trabalhos do instituto continuará se mantendo. "Diferentes lideranças femininas provaram que a presença das mulheres no ambiente institucional é uma realidade consolidada na sociedade mineira. Na Gestão de 2023, a tradição continua com a presença da empreendedora da moda Júlia Zingoni, que foi empossada neste mês como diretora de eventos. Seu papel é o de proporcionar aos associados o encontro semanal com diferentes lideranças nacionais e internacionais. Além de Belo Horizonte, a filosofia e os valores do Instituto de Formação de Líderes têm sido passados nacionalmente através de uma entidade nacional criada a partir do trabalho que nasceu na capital mineira, que é o IFL-Brasil", comenta Thiago Oliveira Campos.

A diretora de eventos do IFL-BH, Júlia Zingoni, destaca que logo quando conheceu a entidade, se identificou com os propósitos dos associados. "Advinda do mercado da moda, nem sempre os valores da defesa da liberdade e meritocracia são os mais defendidos entre os colegas de profissão. Em um ambiente rico de troca entre lideranças, senti uma oportunidade de desenvolvimento pessoal e profissional, além do desejo comum de participar na construção de um país mais livre e próspero", diz a empreendedora, que salienta a importância da presença feminina. "Nós nos preocupamos sempre em trazer as maiores mentes do Brasil e do mundo para os encontros e, naturalmente, é também espaço para grandes mulheres que se destacam nas mais diversas áreas", completa.

Dedicação

Com o objetivo de fomentar temas importantes para a sociedade brasileira e garantir um ambiente de maior liberdade para todos, Thiago Oliveira Campos destaca que a ex-presidente do IFL-BH, Carolina Antunes, tem capitaneado o projeto nacional da entidade, que surgiu em 2017 e hoje já conta com postos em grande parte das principais cidades do Brasil. "Em conjunto, as ex-presidentes do IFL-BH também são ativas na rotina da entidade, uma vez que além de honorárias da unidade mineira, elas também fazem parte do Conselho Consultivo, que se reúne periodicamente. Além de promover encontros e debates, tanto o IFL-BH quanto os institutos que fazem parte do IFL Brasil, oferecem ao associado um Ciclo de Formação completo que busca trabalhar diferentes habilidades cognitivas e sociais que preparam lideranças para o futuro do nosso país", comenta.

Nacional

O ciclo segue uma metodologia detalhada criada em parceria com a consultoria Falconi, em um projeto encabeçado pela consultora Neuza Chaves, parceira do IFL-BH. Para Carolina Antunes, que hoje é a executiva-chefe do IFL-Brasil, o protagonismo das mulheres no instituto se deve à capacidade delas na liderança de processos. "Falo, principalmente, ao detalhamento feminino e a capacidade que as mulheres tem para lidar com processos. De tal forma que possibilita que os institutos possam criar ciclos naturais de aprendizagem e sucessão. Se depender do histórico, as mulheres vão continuar em destaque não só nas entidades, mas também no cenário nacional", conclui.

Sobre o IFL-BH

O Instituto de Formação de Líderes de Belo Horizonte (IFL-BH) é uma entidade civil sem fins lucrativos ou compromissos político-partidários. Seu principal objetivo é a formação de jovens líderes conscientes de seu papel político, econômico e social, na construção de um país mais livre e próspero, com base nos valores de Estado de Direito, Liberdade Individual, Livre Mercado e respeito à Propriedade Privada.


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Últimas